Frequentemente observamos alguém ou até nós mesmos, confundir os conceitos de higienização, desinfeção e esterilização. Apesar das semelhanças entre si, as diferenças acabam por ser bastantes. Neste artigo explicamos-lhe quais são.

Afinal, quais são as diferenças entre higienização, desinfeção e esterilização?

Quais são as diferenças entre higienização, desinfecção e esterilização?

À primeira vista parecem querer dizer a mesma coisa, mas na verdade e de uma forma resumida a higienização caracteriza-se por ser mais suave quando comparada com a desinfeção e o mesmo acontece quando esta é comparada com esterilização.

Mas vamos por partes.

Higienização

Quando falamos de higienização estamos a referir-nos a um processo que visa reduzir o número de germes numa superfície a um nível relativamente seguro de acordo com os padrões de saúde publica. Ou seja, a higienização é a remoção dos germes através da limpeza, algo muito comum de se fazer nas nossas próprias casas, já que é recomendado proceder-se a higienização em ambientes que não possam entrar em contacto com produtos químicos fortes como por exemplo os utensílios de cozinha

Desinfeção

Por outro lado, a desinfeção é o processo de eliminar quase na totalidade (cerca de 99%) dos germes usando produtos químicos, diferenciando-se do processo anteriormente descrito por não limpar necessariamente as superfícies sujas, mas sim “matar” os germes, reduzindo assim o risco de ocorrer uma infeção por exemplo. Geralmente procede-se a desinfeção em ambientes médicos utilizando desinfetantes hospitalares, por exemplo.

Esterilização

Por último, podemos definir esterilização como o processo mais eficaz entre todos os que aqui referimos e que é responsável por eliminar 100% de todas as formas de vida microbiana. Assim sendo, fica fácil de perceber que não é algo que precisemos de realizar no nosso dia a dia ou nas nossas casas. Este processo é geralmente efetuado em ambientes que precisam de máxima segurança para evitar propagação de vírus e bactérias tais como, laboratórios ou áreas de cirurgia em hospitais e clínicas

 

Resumidamente podemos ordenar estes três processos pela sua eficácia sendo a menos eficaz a higienização seguida da desinfeção e a esterilização claramente com mais eficácia que os outros. Podemos também concluir que a higienização e desinfeção podem complementar -se entre si e ser usadas nas nossas habitações quando, por exemplo, limpamos (higienização) e de seguida desinfetamos uma superfície. Já a esterilização é realizada em instalações de saúde usando métodos físicos ou químicos, incluindo: vapor sob pressão, calor seco, gás EtO, plasma de gás peróxido de hidrogênio e produtos químicos líquidos.

Categorias: Estudos